Papoilas Portuguesas

Papoilas Portuguesas
Lusos - Grupo de individuos com grau de utopia elevado

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

A loja do Bin Laden














Este espaço na cidade de Lisboa é absolutamente incrível. Localizado no Parque das Nações, por baixo da Gare do Oriente, junto à saída do metro do Oriente. Esta pequena loja já me solucionou diversos problemas que tive com telemóveis. Tem a designação oficial de Gagan deep singh dhillon!!!... mas toda a gente a conhece como A loja do Bin Laden. Especializada na venda de telemóveis e respectivos acessórios, é no entanto conhecida pela sua excepcional capacidade de resolver avarias nestes equipamentos. Efectivamente, já por diversas vezes tive avarias nos meus telemóveis e quando me desloquei aos agentes oficiais dos mesmos, ou me disseram ou que o telemóvel não tinha arranjo, ou me deram orçamentos para a reparação com valores semelhantes à compra de um equipamento novo. De todas as vezes que isto aconteceu, desloquei-me à “Loja do Bin Laden” e não só me arranjaram os ditos cujos, como as quantias pagas pelo arranjo nunca excederam os 10 euros.
Há no entanto algumas regras básicas a considerar, quando nos deslocamos a esta simpática loja, se quisermos ter sucesso. A primeira regra é que não nos podemos intimidar quando entramos e deparamos com diversos indivíduos barbudos e de turbante (todos aparentemente iguais), que se encontram “petrificados” atrás do balcão. A sensação que temos, é que nos encontramos perante o Estado Maior da Al-Kaeda, com o Bin em posição de destaque e o Sandokan ao seu lado. Segunda regra, temos que ter a máxima das paciências na interacção com os lojistas. Efectivamente, é comum termos que esperar pelo menos quinze minutos até eles se dignarem sequer olhar para nós. Mas assim que esse contacto visual é estabelecido temos que ser implacáveis e fazer o nosso pedido. Terceira regra, nesta loja não existe o conceito de fila ou “cliente que chegou primeiro”, na realidade a ordem com que somos atendidos é completamente aleatória, exceptuando no caso de sermos conhecidos, pois nesse caso passamos à frente de toda a gente. Quarta regra, temos que nos abstrair de tentar perceber os diálogos entre eles, que interagem numa língua completamente incompreensível (para nós), e quando se nos dirigem as únicas palavras que articulam são interjeições correspondentes ao preço do arranjo. “Tréess éros”, são as palavras mais ouvidas neste confinado espaço. Quinta regra, é frequente termos que nos dirigir várias vezes a esta loja para recolher o nosso equipamento, pois normalmente nunca está pronto na primeira data que nos é dada. Conhecidas as regras, é aproveitar. Se tiverem uma avaria no telemóvel (mesmo em modelos descontinuados) o arranjo é garantido.
















2 comentários:

  1. A mim roubaram a micro SD do telemóvel quanto deixei para arranjar e ainda por cima não conseguiram resolver o problema com o software...

    ResponderEliminar
  2. A mim já não me lixam outra vez.
    Talibans do car...

    ResponderEliminar